eu-sem-poesia
eu-sem-poesia:

Perto de mim com teus hábitos,teu colorido e tua guitarracomo estão juntos os paísesnas lições escolarese duas comarcas se confundeme há um rio perto de um rioe crescem juntos dois vulcões.
Perto de ti é perto de mime longe de tudo é tua ausênciae é cor de argila a luana noite do terremotoquando no terror da terrajuntam-se todas as raízese ouve-se soar o silênciocom a música do espanto.O medo é também um caminho.E entre suas pedras pavorosaspode marchar com quatro pése quatro lábios, a ternura.Porque sem sair do presenteque é um anel delicadotocamos a areia de onteme no mar ensina o amorum arrebatamento repetido.

Pablo Neruda; ‘Integrações’; in O Coração Amarelo

eu-sem-poesia:

Perto de mim com teus hábitos,
teu colorido e tua guitarra
como estão juntos os países
nas lições escolares
e duas comarcas se confundem
e há um rio perto de um rio
e crescem juntos dois vulcões.

Perto de ti é perto de mim
e longe de tudo é tua ausência
e é cor de argila a lua
na noite do terremoto
quando no terror da terra
juntam-se todas as raízes
e ouve-se soar o silêncio
com a música do espanto.
O medo é também um caminho.
E entre suas pedras pavorosas
pode marchar com quatro pés
e quatro lábios, a ternura.
Porque sem sair do presente
que é um anel delicado
tocamos a areia de ontem
e no mar ensina o amor
um arrebatamento repetido.

Pablo Neruda; ‘Integrações’; in O Coração Amarelo